Em primeira mão... o pasquim do Arthur de 4 de Fevereiro

Os Irredutiveis Serrenhos mais uma vez conseguiram furar o segredo e ter acesso aos conteúdos que sairão a 4 de Fevereiro no pasquim do Arthur, onde se destaca uma entrevista com (passo a citar): “A Presidente da Câmara Municipal de Silves, Dra. Isabel Soares – que recusou ser deputada no Parlamento Europeu, no que foi substituída pelo autarca Joaquim Piscarreta, então Presidente da Câmara de Lagoa – vai responder, em entrevista gravada de Arthur Ligne, às questões mais “quentes” que têm feita dela e da Câmara de Silves os “bombos da festa” junto dos sectores da oposição…” Ufff…

Chamo a vossa atenção para os erros ortográficos (mas quem não os comete) e para aquela tirada “maravilhosa” e “isenta” do “recusou ser deputada no Parlamento Europeu”… é só para situar as pessoas. Ora dito isto eu, João da Serra – que recusei ser astronauta na NASA porque nesse fim-de-semana o Serrano jogava em casa, no que fui substituído pelo Louis Armstrong – venho apresentar-vos alguns excertos e respostas às questões mais quentes:

Arthur – Como faz para manter a energia autárquica que lhe atribui Marcelo Rebelo de Sousa?

Isabel Soares – O Marcelo é um querido e até foi ele que me recomendou esses comprimidos. Existem em 10 mg para energia televisiva e em 50 mg para energia autárquica. São óptimos.

 

A.L. – E a jovialidade?

I.S. – Bem, na minha idade quase não precisava das plásticas, dos retoques e “botoxes” que tenho… mas sabe que o meu povo aprecia-me assim jovem e esbelta e eu não posso defraudá-los.

 

A.L. – O que faz falta a Silves para se tornar na Sevilha do Algarve?

I.S. – Pouca coisa. O trabalho feito está à vista de todos e as semelhanças são arrepiantes. Neste momento estamos a tentar conseguir que o IKEA abra aqui uma loja para concluir o projecto.

 

A.L. – Quanto aos transgénicos no concelho, que medidas prevêem tomar?

I.S. – Apesar de ser de direita sou bastante tolerante, acho que os transgénicos devem ter os mesmos direitos que as outras pessoas. Não se pode discriminar ninguém pelos seus gostos sexuais.

 

A.L. – De tudo o que já fez, o que destaca?

I.S. – Olhe, fiz um”bacalhau à deputado”, no dia de Reis, que ficou um sonho. Lá em casa até se lamberam. E é muito fácil: cortam-se as cenouras e as cebolas às rodelas e tapa-se com elas o fundo de um “pirex” desses de ir ao forno, rega-se com um fio de azeite e acrescenta-se o bacalhau às lascas…

 

A.L. – Qual foi para si o momento mais complicado do corrente mandato?

I.S. – Olhe, foi quando me pintaram o gabinete e tive que mudar de sítio umas facturas de € 4.987,98 que tinha ali num canto a aguardar pagamento. Levei 3 dias a carregar caixotes… malditas facturas.

 

A.L. – A participação de Silves no Programa POLIS vai chegar ao fim neste mandato?

I.S. – Não vejo esse programa. Quem entrava sempre nisso da televisão era o Engº Garrocho, desde que ele saiu apenas fui ao “Prós e Contras”. Se tudo correr bem em Setembro hei-de estar na estreia do novo formato do “Juiz Decide”, na SIC, e hei-de falar muito bem de Silves.

 

A.L. – O que mais irrita Sua Alteza no dia-a-dia?

I.S.  – Olhe, devo confessar que é o bolor. Aquele bolor que se acumula, agora de Inverno, nos mármores das casas de banho dá-me cabo das costas. Deviam inventar um produto que desse cabo do bolor. Também fico chateada com ….

 

A.L. – E o que mais gosta?

I.S. – Da hora de chegar a casa e ir para a internet responder aqueles alarves do blogues. Tenho mesmo ao lado da minha secretária uma corticite com as fuças de todos eles para mandar umas setas…

 

Para ler o resto terá que esperar pelo pasquim do Arthur que vem já no dia 4 de Fevereiro a “bordo dos autocarros da EVA/Mundial Turismo”, porque nenhuma empresa de distribuição quis arriscar perder todos os seus clientes…

publicado por João da Serra às 14:13 | favorito