Diz que há uma ambulância abandonada...

Diz que na freguesia abandonada de São Marcos da Serra, dentro do quartel abandonado dos Bombeiros Voluntários, está uma ambulância abandonada?!! Será caso?!

 

Cabe-me a mim citar um poema de Manuel Damião:

 

O 31
Raios partam o frio de Janeiro
Que me ataca o esqueleto
Não há ceroulas que aguentem
Nem medronho que lhe dê jêto
 
Saio do baile já alegre
E vejo tudo branquinho
Nem a zundapp pegava
Nem eu sabia o caminho
 
Pulo pra cima da magana
Ladeira abaixo sem travar
Engato-lhe uma segunda
Nem tempo tive de gritar
 
Arreio com os cornos no chão
Nem capacete levava
Ouço a malta aflita
Pensavam que não escapava
 
Foi maior o susto que a queda
E volto a casa quentinho
Deitado na ambulância
A dormir o meu soninho
 
Pró ano vou de comboio
Até São Marcos da Serra
Não se falta ao 31
Nem que o país esteja em guerra
Manuel Damião - versos soltos do caderno 12
publicado por Paulo Silva às 23:09 | favorito